TESTE DO CORAÇÃOZINHO - Oximetria de Pulso

12 de junho - DIA DA CONSCIENTIZAÇÃO DA CARDIOPATIA CONGÊNITA

A AACC Pequenos Corações, buscando melhorar as condições de diagnóstico e tratamento das crianças cardiopatas lançou, em setembro de 2011, uma campanha nacional pela realização do Teste do Coraçãozinho - oximetria de pulso em todos os recém nascidos, antes da alta da maternidade.

O Teste do Coraçãozinho é uma excelente ferramenta de triagem neonatal para rastrear Cardiopatias Congênitas Críticas. Considerando-se que a incidência desse tipo de cardiopatia é de 1 a 2/1000 bebês nascidos vivos, e que se tratam de cardiopatias que necessitam, na maioria das vezes, de intervenção e tratamento imediatos, podemos perceber o quanto esse teste pode contribuir para salvar vidas.

A "oximetria de pulso" deve ser realizada após as primeiras 24 horas de vida, e antes da alta hospitalar, utilizando um sensor externo (oxímetro), conforme parecer científico da Sociedade Brasileira de Pediatria, que segue em anexo (Também pode ser visualizado no site: http://www.sbp.com.br/pdfs/diagnostico-precoce-oximetria.pdf)

AACC Pequenos Corações vem contatando vereadores/ deputados e sugerindo que proponham um Projeto de Lei dispondo sobre a obrigatoriedade do Teste do Coraçãozinho em todos os recém-nascidos. Foram contatados mais de 120 parlamentares, e esses contatos resultaram em 90 cidades e 11 estados nas quais Teste do Coraçãozinho, já se tornou lei, e 39 cidades e 11 estados estão com Projeto de Lei tramitando. (Veja a lista completa).

O ideal seria que todas as gestantes tivessem acesso ao ecocardiograma fetal, que poderia dar o diagnóstico ainda na gestação, e assim permitir uma programação de parto e cirurgia em um hospital preparado para receber os pacientes mais graves, mas infelizmente trata-se de um exame que exige equipamentos e profissionais especializados, o que o torna mais caro e em algumas regiões do país até inviável de ser realizado.

O Teste do Coraçãozinho é indolor, não invasivo e com um custo muitíssimo baixo, já que exige apenas a utilização de um aparelho denominado "oxímetro", equipamento este que já existe em todas as maternidades e hospitais, pois é essencial para monitorar os pacientes (principalmente em UTIs). A oximetria de pulso pode ser realizada por um profissional de enfermagem, e não exige mais do que 5 minutos para a sua realização.
Portanto, o Teste do Coraçãozinho consiste apenas em realizar a “oximetria de pulso” no recém nascido, após as primeiras 24 horas de vida, e antes da alta hospitalar. Para a sua realização, utiliza-se um sensor externo (oxímetro), que deve ser colocado primeiramente na mão direita e posteriormente em um dos pés do bebê, para verificação de níveis de oxigênio. Havendo saturação (nível de oxigênio) abaixo de 95% a criança não deve ter alta da maternidade, permanecendo em observação, e a partir daí devem ser realizados os demais exames diagnósticos, de acordo com a prescrição médica, para descartar a possibilidade de cardiopatia congênita grave.

Em estudos publicados recentemente na revista “Pediatrics” e “The Lancet” ficou comprovado a eficácia do teste, e diversos países do mundo todo o vêm adotando para salvar vidas, já que uma cardiopatia congênita grave não detectada pode levar à morte em poucas horas ou dias.

Algumas dúvidas comuns:

O que é o Teste do Coraçãozinho?
Trata-se de um teste que deve ser realizado no recém-nascido ainda na maternidade, após as primeiras 24 horas de vida e antes da alta hospitalar para rastreio de cardiopatias congênitas críticas. Consiste na medição da saturação (níveis de oxigênio no sangue) do bebê, através da utilização de um aparelho denominado "oxímetro".

Como é feito o “Teste do coraçãozinho” ou “Teste de Oximetria de Pulso”?
A monitorização da oximetria de pulso utiliza uma fonte de luz e sensor (oxímetro ) para medir o oxigênio no sangue.
Um sensor macio é enrolado à volta da mão direita (pré ductal) e posteriormente à volta do pé do bebê (pós ductal). A luz que passa através da pele mede a quantidade de oxigênio no sangue. O teste é rápido (3-5 minutos) e indolor.

Por que é importante testar os bebês para descartar defeitos do coração?
Se não forem detectadas, algumas cardiopatias congênitas podem causar problemas graves ou mesmo levar à morte. O diagnóstico e o tratamento precoces, são fundamentais para preservar a vida dos bebês que nascem com essa condição.

Por que verificar o nível de oxigênio no sangue com oxímetro de pulso?
O nível de saturação de oxigênio baixos (abaixo de 95% ou com uma diferença maior que 2% entre os membros superiores e inferiores) podem indicar a presença de uma malformação cardíaca.

Quais são os benefícios do rastreio?
Os bebês são menos propensos a terem alta com problemas cardíacos não identificados, alguns dos quais podem causar situações de emergência ou mesmo morte. Se forem identificados nas primeiras 24-48 horas de vida, ainda na maternidade, o tratamento do bebê poderá ser iniciado l bebê poderá oas equipes médicas estão disponíveis para diagnóstico e tratamento das cardiopatias congênitas.

O teste pode detectar todos os tipos de defeitos cardíacos?
Nenhuma ferramenta de diagnóstico atual pode detectar 100% das cardiopatias congênitas existentes, mas a oximetria de pulso poderá rastrear defeitos cardíacos mais graves (aqueles associados com um baixo nível de oxigênio no sangue), que são as chamadas "cardiopatia congênitas cianogênicas". Portanto, o teste não detecta aqueles casos menos graves, que não estão associados com um baixo nível de oxigenação (saturação).

O que fazer caso seja detectado um baixo nível de saturação durante a realização da oximetria de pulso (abaixo de 95%)?
O teste de oximetria de pulso deve ser feito novamente. Se o nível ainda estiver abaixo do esperado, em seguida, um ecocardiograma (uma espécie de ultrassom do coração) deve ser feito e um cardiologista pediátrico deve ser chamado para avaliar a criança.

Mais algumas informações importantes sobre o tema:
http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/963676-teste-detecta-problema-cardiaco-congenito-em-recem-nascidos.shtml
http://veja.abril.com.br/noticia/saude/novo-exame-e-eficiente-na-deteccao-de-cardiopatias-congenitas
http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI260114-15327,00-SIMPLES+TESTE+NO+RECEMNASCIDO+E+CAPAZ+DE+IDENTIFICAR+PROBLEMAS+CARDIACOS+CO.html
http://www.latimes.com/health/boostershots/la-he-heart-screening-20110822,0,5268306.story
http://pediatrics.aappublications.org/content/128/5/e1259.full?sid=f8b1acd2-e52d-4356-8719-124b955ca54b
http://www.childrensnational.org/files/PDF/PulseOx/Reports/Cong-Protocol.pdf