Com doença rara, candidato do Enem está com 'as melhores expectativas'

Estudante de 25 anos chegou às 12h15 para fazer a prova em São José. Vinícius Schmidt acredita que exame de domingo (9) será mais difícil.

O estudante Vinícius Schmidt chegou por volta de 12h15 deste sábado (8) na universidade Estácio de Sá em São José, na Grande Florianópolis para fazer o Enem. Acompanhado do pai, ele diz que as expectativas para a prova são "as melhores possíveis".

Com 25 anos e com Artrogripose Múltipla Congênita (AMC), o estudante tem comprometimento no movimento dos membros superiores e inferiores e utiliza cadeira de rodas.

Sorridente e bem humorado, Vinícius está confiante. Para ele, o momento mais difícil será no domingo (9), na hora da redação. "É difícil escrever um texto em uma hora", diz.

Formado em jornalismo há dois anos, ele afirma não ter se "encaixado" na profissão. "Virou hobbie. É difícil escolher o que quer ser da vida com 18 anos. É mais fácil com 25", afirma. Segundo ele, a dedicação é total para entrar no curso de psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Adaptação para a prova
Quando se inscreveu para o Enem e para o vestibular, solicitou que sua sala seja no piso térreo. Ele pediu também uma mesa adaptada, com altura que facilite a realização do concurso.

Depois de falar com o G1, ele e o pai subiram a rampa em direção à entrada do local da prova. O fiscal os recebeu e adiantou que uma sala adaptada já estava disponível para o estudante.